21 abril, 2010

me(Ninah)

Para Jessica A.

De longe, parece que tem muitas pessoas ao seu redor, mas não é assim. Você diz que não tem mais ninguém. Eu gostaria de te dizer que você ainda tem a mim. Mas sabemos que não é assim, não porque uma de nós não queira, mas no momento em que nos afastamos, nunca mais conseguimos nos aproximar, são coisas da vida. Se existisse uma borrachinha mágica, eu apagaria a solidão que você sente, essa ausência de carinho paterno, a falta de amigos verdadeiros, a falta de um antigo melhor amigo-amor na descoberta da adolescência; eu apagaria as marcas no coração e deixaria os sorrisos; apagaria os pesadelos, as estradas e pontes e ruas para não existir distância. Se existisse um lápis mágico, eu contornaria a menina que eu conheci dois anos e uns meses atrás, com cores de fé e paz. Eu desenharia nuvens que realmente fossem de algodão; eu rabiscaria teus sonhos no meio do nada, para que o nada virasse tudo, e finalmente teus sonhos estariam perto de você. Mas, infelizmente não existe essa borracha e esse lápis, existe você aí e eu do outro lado, você no centro e eu na borda; e nós, tentando sobreviver "as coisas da vida". Então, quando você for me dizer, mesmo em silêncio: "Eu não tenho mais ninguém no mundo". Eu vou te dizer, mesmo em silêncio: "Você tem a mim agora e para sempre".


[Erllen Nadine]

Velha Infância

Rabiscado por: F. A. em 09/07/09

Uma música em nossas mentes, duas vozes, um só coração:

Eu — Eu gosto de você.
Ele — Eu também gosto de você, muito.
(Silêncio)
Ele — Estou ouvindo seu coração.
Eu — Ele é seu.
Ele — Ele é nosso.

(Diálogo em 01/09/09)

Foi eterno enquanto durou. Obrigada por aquela reciprocidade.

"She's a little pilot in my mind.
She's not anyone.
Gonna write a song so she can see, give her all
the love she gives to me."

(Oasis)

Preciosidade

"De manhã cedo era sempre a mesma coisa renovada: acordar. O que era vagaroso, desdobrado, vasto. Vastamente ela abria os olhos. Tinha 17 anos* e não era bonita. Mas por dentro da magreza, a vastidão quase majestosa em que se movia como dentro de uma meditação. E dentro da nebulosidade algo precioso. Que não se espreguiçava, não se comprometia, não se contaminava. Que era intenso como uma jóia. Ela. De devaneio agudo como um crime. O vento da manhã violentando a janela e o rosto até que os lábios ficavam duros, gelados. Então ela sorria. Como se sorrir fosse em si um objetivo."

(Laços de Família - Clarice Lispector)

Eu não vou dizer para eles o seu nome


"Mas se você pudesse se esconder ao meu lado, 
talvez por um instante, eu não vou dizer para ninguém o seu nome.
Cicatrizes são recordações que você nunca perde
O passado nunca está longe.

Você perdeu você mesma em algum lugar lá fora?
Você conseguiu ser uma estrela?
E você não fica triste por saber que a vida
É mais do que nós somos?

Você cresceu de uma maneira muito rápida
E agora não há nada em que acreditar
E reprises se tornaram todas nossa história
Uma canção cansada continua tocando em um rádio cansado.
Eu penso em você o tempo todo.
É solitário de onde você vem
E eu não vou dizer para eles o seu nome."

(I Wont Tell 'em Your Name - Goo Goo Dolls)

18 abril, 2010

Amélie



— Ela está apaixonada.
— Mas eu nem mesmo a conheço.
— Oh sim, você a conhece sim.
— E desde quando?
— Desde sempre Nino, desde sempre... Nos seus sonhos.

— Então, minha querida Amélie, você não tem ossos de vidro. Pode suportar os baques da vida. Se deixar passar essa chance, com o tempo seu coração ficará tão seco e quebradiço quanto meu esqueleto. Então, vá em frente, pelo amor de Deus. 

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Jean-Pierre Jeunet, 2001)

14 abril, 2010

Céu

Foto by: Erllen Nadine - Apodi/RN.

"Pintou estrelas no muro,
e teve o céu
ao alcance das mãos."

(Poesia Mínima - Helena Kolody)

11 abril, 2010

Mel & Girassóis

Ao som de Nara Leão.

"[...] Ele tentava esquecer uma mulher chamada Rita. Conforme o uísque diminuía na garrafa, Rita misturava-se aos poucos com outra chamada Helena, ele repetia como-amei-aquela-mulher-nunca-mais-nunca-mais, enquanto ela sentia algum ódio, mas não dizia nada, toda madura repetindo isso-passa-questão-de-tempo-tudo-bem. Para espanto dele, ela falou o nome daquele homem de antes, de outros também, Alexandre, Lauro, Marcos, Ricardo – ah os Ricardos: nenhum presta – e ele também sentiu certo ódio, nada de grave, normal, tempos modernos, mero confronto de descornos. Falaram então sobre as paixões, os enganos, as carências e todas essas coisas que acontecem no coração da gente e tudo, e nada. Dançaram de novo. [...] Ela deixou que a mão dele descesse até abaixo da cintura dela. E numa batida mais forte da percussão, num rodopio, girando juntos, ela pediu:
— Deixa eu cuidar de você.
Ele disse:
— Deixo.
Devagar, as mãos se tocavam: a tua é tão longa, a tua tão quadrada. Ele não queria entrar noutra história, porque doía. Ela não queria entrar noutra história, porque doía. Ela tinha assumido seu destino de Mulher Totalmente Liberada Porém Profundamente Incompreendida E Aceitava A Solidão Inevitável. Ele estava absolutamente seguro de sua escolha de Homem Independente Que Não Necessita Mais Dessas Bobagens De Amor. [...] Ela veio meio balançando ao som do violão e convidou-o para dançar, um pouco mais. Ele aceitou, só um pouquinho. Ele fechou os olhos, ela fechou os olhos. Ficaram rodando, olhos fechados. Muito tempo, rodando ali sem parar.
Ele disse:
— Eu não vou me esquecer de você.
Ela disse:
— Nem eu.
[...]
— Sabe eu pensei tanto. Eu acho que.
Ela se voltou de repente e disse:
— Eu também. Eu acho que.
Bem perto dela, ele perguntou:
— O quê?
Ela disse:
— Sim.
Puxou-o pela cintura, ainda mais perto. Ele disse:
— Você parece mel.
Ela disse:
— E você, um girassol.
Estenderam as mãos um para o outro. No gesto exato de quem vai colher um fruto completamente maduro.


(Os Dragões não Conhecem o Paraíso - Caio F. Abreu)

10 abril, 2010

Let it be


Quando eu me encontro em tempos difíceis
Maria vem pra mim
Falando palavras de sabedoria, deixa estar
E nas minhas horas de escuridão
Ela está em pé bem na minha frente
Falando palavras de sabedoria, deixa estar.
Deixa estar, deixa estar.
Sussurrando palavras de sabedoria, deixa estar.
E quando as pessoas de coração partido
Morando no mundo concordarem,
Haverá uma resposta, deixa estar.

Pois embora possam estar separados há
Ainda uma chance que eles verão
Haverá uma resposta, deixa estar. [...]

(Let It Be - The Beatles)

Há 40 anos, anunciava-se o fim dos Beatles.

09 abril, 2010

Quis nunca te perder


Bem do lado interior do coração, eu ainda guardo um grande afeto por você. Você sabe, havia mil motivos para eu não estar naquele show, sabe também que se não tiver como ir a praia, não precisa nem estalar os dedos, se tu quiser que eu te leve, eu aprendo a dirigir. Cuida do teu, para que ninguém te jogue no chão, procure dividir-se em alguém, procure-me em qualquer confusão, quero ver você maior meu bem, pra que minha vida siga adiante, e não pense que eu fui por não te amar; fui embora, mas eu nunca disse adeus, procuramos independencia, por isso acreditamos na distancia entre nós. Mas eu fico esperando, o dia em que você me aceite como amiga, ainda vou te convencer. Para ser sincera, és parte do que me faz forte, é de ti que não esquecerei. Para terminar, te deixo as palavras de Amarante: "E até quem me vê lendo o jornal, na fila do pão, sabe que eu te encontrei, e ninguém dirá que é tarde demais". <3


[Frases de músicas, adaptadas - E. N.]

Jovens demais

Thirteen

Nós somos jovens demais pra tocar o céu, jovens demais pra passar por tudo isso, jovens demais pra amar tanto assim, jovens demais pra nos perdermos de nós mesmos em função de outras pessoas.

(Pedro Nascimento)

"Sim" depois do "não"

Sabe o que é mais triste, é que eu sei que não existe um "sim" depois do "não", mas eu não consigo deixar isso claro pra esse sentimento que tá aqui dentro, que teima em tentar te impressionar, insiste em fazer sempre coisas que possam chamar sua atenção. Seria tão bom se você me olhasse de novo, e encontrasse em mim alguma coisa que você não viu a primeiro instante, alguma coisa que não se vê a olho nú, não é possivel que você não consiga enxergar tanta coisa boa que eu sinto para e por você. Porque é uma coisa tão boa e tão pura, que se você conseguisse ver, entender, sentir, com certeza faria existir o "sim" depois do "não".

(Pedro Nascimento)

06 abril, 2010

Despedida



Sentados um ao lado do outro, ele começou a desabafar, dizendo o que não queria, o que não podia. Ele falou das mágoas passadas, falou que sentia segurança ao lado dela, que tentava não pensar nela, mas não conseguia. E ela ficou apenas ouvindo, com um nó na garganta, olhando para ele fixamente. "Eu não quero sair da sua vida" era a única frase que vinha na cabeça dela; "eu não quero te machucar" era a única frase que vinha na cabeça dele. Então ele a abraçou, e ela despedaçou-se. Os dois nunca foram do tipo de se entregar, de amar, talvez por isso tivessem tanto medo de machucar um ao outro, principalmente ele era assim. Se eles se despedissem naquela hora, o adeus não seria para sempre; se a despedida ficasse para depois, talvez fosse um adeus para toda a vida. Ela aceitou o acordo, o destino, desistiram do sonho e disseram 'até mais', até um novo amanhã, algum dia recomeçar. Guardou o sentimento no bolso, o rosto no coração. No dia seguinte, ela juntou o pouco que sobrou e foi embora, para nunca mais voltar, ou talvez voltasse, quando a vida não fosse mais preto e branco. Foi embora com a única certeza que ele era o seu amor.


Erllen Nadine

05 abril, 2010

Dama da Noite


"Como se eu estivesse por fora do movimento da vida. A vida rolando por aí feito roda-gigante, com todo mundo dentro, e eu aqui parada, pateta, sentada no bar. Pára de rir, senão te jogo já este copo na cara. Olha em volta, cara. Bem do teu lado. Naquela mina ali, de preto, a de cabelo arrepiadinho. Levanta não, te pago outra vodca, quer? Só pra deixar eu falar mais na roda. Você é muito garoto, não entende dessas coisas. Assim: deixa a vida te lavrar a alma, antes, então a gente conversa. Deixa você passar dos trinta, trinta e cinco, ir chegando nos quarenta e não casar e nem ter esses monstros que eles chamam de filhos, casa própria nem porra nenhuma. Acordar no meio da tarde, de ressaca, olhar sua cara arrebentada no espelho. Sozinho em casa, sozinho na cidade, sozinho no mundo. Vai doer tanto, menino. Ai como eu queria tanto agora ter uma alma portuguesa para te aconchegar ao meu seio e te poupar essas futuras dores dilaceradas. Como queria tanto saber poder te avisar: vai pelo caminho da esquerda, boy, que pelo da direita tem lobo mau e solidão medonha. Já viu gente morta, boy? É feio, boy. A morte é muito feia, muito suja, muito triste. Queria eu tanto ser assim delicada e poderosa, para te conceder a vida eterna. Queria ser uma dama nobre e rica para te encerrar na torre do meu castelo e poupar você desse encontro inevitável com a morte. Eu sei que fico em você, eu sei que marco você. Marco fundo. Eu sei que, daqui a um tempo, quando você estiver rodando na roda, vai lembrar que, uma noite, sentou ao lado de uma mina louca que te disse coisas, que te falou no sexo, na solidão, na morte. Ria de mim, mas estou aqui parada, bêbada, pateta e ridícula, só porque no meio desse lixo todo procuro o verdadeiro amor. Cuidado, comigo: um dia encontro. Divida essa sua juventude estúpida com a gatinha ali do lado, meu bem. Eu vou embora sozinha. Eu tenho um sonho, eu tenho um destino, e se bater o carro e arrebentar a cara toda saindo daqui, continua tudo certo. Fora da roda, montada na minha loucura. Parada pateta ridícula porra-louca solitária venenosa. Dá minha jaqueta, boy, que faz um puta frio lá fora e quando chega essa hora da noite eu me desencanto. Viro outra vez aquilo que sou todo dia, fechada sozinha perdida no meu quarto, longe da roda e de tudo: uma criança assustada."

(Os Dragões não Conhecem o Paraíso - Caio F.)

16 anos sem Kurt Cobain

Resultado de imagem para kurt cobain

Em 5 de abril de 1994, o mundo ficou chocado com uma triste notícia: a morte de Kurt Donald Cobain, vocalista da banda Nirvana, aos 27 anos. Um cara polêmico, envolto com problemas pessoais, que construiu a base para sustentar os alicerces da "Geração anos 90". Mesmo hoje, 16 anos após a sua morte, o eterno líder da mitológica banda Nirvana ainda consegue despertar um misto de fascínio entre os jovens e adultos a respeito de seu modo de encarar a vida. Aquele que quebrava guitarras nos palcos e usava camisetas xadrez, tornou-se responsável pela maneira de agir e pensar de milhares de pessoas espalhadas ao redor do mundo. Sua banda reinventou o Rock, durante o auge e depois da sua morte, influenciou e continua influenciando 9 entre 10 bandas. Sua história e sua poesia, jamais serão esquecidas. ♥

"Quando eu ouvi Nirvana, eu descobri que não estava sozinho."
[mais ou menos isso que um garoto diz num episódio de Cold Case]

"[...] Ah, eu amo o som daqueles caras, quero trancar eles na minha caixa em formato de coração. Nunca vi nada tão genial. Eles são a combinação perfeita."
[Erllen Nadine, em seu diário, aos 12 anos]

"Kurt é um merda, ele fez meu coração parar."
[Courtney Love]

"Lembre-se de Kurt como ele era: Leal, Amigo. Vamos guardar a música conosco, isso sempre iresmo ter."
[Krist Novoselic]

"Ele teve que ir ser um anjo."
[Courtney Love explicando a Frances a ausência de seu pai]

03 abril, 2010

Espelho manchado de suspiros

Depois de muito tempo, eu voltei a pensar em você, e bateu aquela saudade que estava adormecida. Eu tentei desvendar aqueles olhos que estavam bem na minha frente, meu Deus, como é difícil tentar decifrar um olhar. Eu fiquei quieta, observando, olhando para dentro de você, tentando dizer palavras que eu nunca te disse ("Eu te... Eu..."); então eu voltei para a realidade, não era para você que eu estava olhando, era para mim mesma, para o meu reflexo no espelho manchado de suspiros, desejos inconfessáveis e batons tom escarlate. Você não estava de volta, eu me quebrei mais uma vez. "Eu te amo, me deixa voltar para a sua vida?". Era isso que eu queria te dizer.

Erllen Nadine

02 abril, 2010

Tira as palavras da minha boca

J. A.

''Adoro deixar você sem palavras''. Foi o que ela disse. E ela sabe como fazer isso. Tira as palavras da minha boca, brinca com elas, dá vida a elas e me deixa muda. Depois ela ler meus pensamentos. Invade minha cabeça, com suas cores e seu brilho, desvenda meus mistérios, confunde meus segredos. Ela também sabe como chegar na minha alma. Vai pelo caminho com flores e estrelas, me deixa calma, segura, uma vítima com defesa; e derrete meu corpo com todo o seu amor.

[Erllen Nadine]

...



Com a cabeça no travesseiro, o olhar para o nada, as mãos sobre o coração,
eu tentava me lembrar se em alguma vez ele pensou em mim.
Coitada, me agarrei a sonhos.
O tempo passou, eu cresci,
cresci tentando arduamente ter um pai;
mas assim como ele, nunca fiz nada para tê-lo.

E.

Ela e o mar

"[...] Caminhou até a praia. Onde não passava ninguém ainda. Continuou a andar e a olhar, olhar, olhar, vendo. Era um corpo a corpo consigo mesma dessa vez. Escura, machucada, cega - como achar nesse corpo-a-corpo um diamante diminuto mas que fosse feérico, tão feérico como imaginava que deveriam ser os prazeres. Mesmo que não os achasse agora, ela sabia, sua exigência se havia tornado infatigável. Ia perder ou ganhar? mas continuaria seu corpo-a-corpo com a vida. Alguma coisa se desencadeara nela, enfim. E aí estava ele, o mar. Aí estava o mar, a mais ininteligível das existências não-humanas. E ali estava a mulher, de pé, o mais ininteligível dos seres vivos. Como o ser humano fizera um dia uma pergunta sobre si mesmo, tornara-se o mais ininteligível dos seres onde circulava sangue. Ela e o mar. Só poderia haver um encontro de seus mistérios se um se entregasse ao outro: a entrega de dois mundos incognoscíveis feita com a confiança com que se entregariam duas compreensões..."

(Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres - C. Lispector)

01 abril, 2010

Entendimento perfeito

"Sentaram-se no banco e se calaram, tentando entender o silêncio. As palavras tinham um sentido além delas mesmas. O silêncio seria, sempre, o único meio de entendimento perfeito." 
"Mas tenho em mim uma coisa que você se esqueceu de dizer: A capacidade de amar anonimamente, sem pedir nada em troca, sem reconhecimento, sem perdão." 
(O Encontro Marcado - Fernando Sabino)

Você caiu feito um patinho!

"Tenho a sensação de que me pregaram uma peça, pois primeiro alguém chega e diz: Tome, o mundo é todo seu, pode brincar aqui à vontade. Este é o seu chocalho, o seu trenzinho, esta é a escola que você vai começar a frequentar no outono. Para depois gritarem: Primeiro de abril, primeiro de abril, você caiu feito um patinho! E então voltarem a me arrancar o mundo das mãos. Sinto que todos me abandoram, deixaram-me a ver navios. Não tenho onde me segurar. Nada pode me salvar. E não é só o mundo que eu perco, não é só tudo e todos que eu amo. Eu me perco a mim mesmo. Zás - e eis que sumi."

(A Garota das Laranjas - Jostein Gaarder)