maio 07, 2010

Devaneio


"Sonhei. Há muito tempo não sonhava."
(Caio F.)

Sonho em 27 de janeiro de 2010.

Eu entrava em um ônibus, que me levava para qualquer lugar. E assim que eu entrei, ele estava lá, sentado, me olhando, esperando por mim. Foi reconfortante e ao mesmo tempo assustador, eu não esperava encontrá-lo. Sentei-me ao lado dele e começamos a conversar; eu tive a impressão que estávamos andando em círculos. Tocamos naquele assunto, de tempos atrás, mas que ainda estava no meu presente. Lembro-me dele desabafando, dizendo que tinha sofrido muito por não me ter por perto. Então com lágrimas nos olhos, eu falei o que tinha feito:
— Eu fiz cortes nos meus pulsos.
E ele com um tom de tristeza perguntou:
— Mas por que você fez isso?
— Eu tinha perdido você, e eu precisava sentir alguma dor mais forte do que a dor que estava no meu coração.
Quando terminei a frase, ele começou a chorar nos meus braços, sem medo, sem mágoa, chorou e chorou; era a maneira que ele demonstrava amor e sinceridade.



"Comecei a subir pelo meu quarto, procurando por ele. Acordei."

(Caio F.)

2 comentários:

  1. Caramba!
    Que incrivel o que você faz com as palavras...
    Muito bom o seu blog.
    Virei aqui sempre que possivel.
    Beijos.

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."