junho 15, 2010

Carta a Ane Gabriela

Na foto: Ane Gabriela.

Mossoró - RN, 12 de Junho de 2010.

Cravo e canela, minha querida Gabriela

Fiquei pensando em nossa rápida conversa, imaginando como você está aí do "outro lado", queria poder dizer algo para secar o rio na sua face. Também pensei no que você me disse: "Tente amiga, tente ser feliz, tente mais uma vez, tente até o fim!" Mas eu não sei se tenho tanta força quanto você, não sei se consigo, entende? Porém, eu tenho fé, um dia em qualquer lugar, de frente para o mar, pode ser? Natal, Maceió, não importa; vamos sentar e rir disso tudo, rir! E mesmo que alguma lágrima queira cair, você não vai deixar, eu não vou deixar. Porque no fim de tudo, todos os delírios, todas as desilusões, vão dá uma tapa nas nossas caras, para acordarmos desse pesadelo.
É difícil mudar o disco, principalmente quando é o nosso disco favorito, e quando ele quebra, e não dá pra colar, e nem adianta comprar outro, porque o valor sentimental não vai ser o mesmo, o que temos que fazer é guardá-lo com carinho em um lugar que ninguém ache. Você sabe do que estou falando. E agente não pode desistir de nós mesmo também, né?! Apesar de todas as quedas, a vida é bonita, e há muita gente depois das paredes.


E te cuida, por favor! Tô te esperando
de frente para o mar... Abraço forte,

Erllen Nadine


"Ah Força do que Existe, ajudai-me, vós que chamam de o Deus."
(Clarice Lispector)


Um comentário:

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."