22 agosto, 2010

Que seja amor


Que eu seja o seu maior e melhor amor; o mais doce, mais quente, mais risonho e importante. Daquele amor, que mesmo quando acaba (por medo ou distância ou destino), nunca acaba de verdade. E mesmo que passe por você, muitas outras... Você sempre vai preferir o meu beijo, abraço, carinho e lençóis. Que seja amor tudo o que você sinta, e guarde muito bem; para o tempo nunca apagar e nada, nem ninguém tentar destruir. Que seja amor - para nunca esquecer; e se não estivermos juntos, que você seja muito feliz, mas sabendo que ao meu lado será muito mais. Que esse amor faça ter um pouco de mim em tudo que você enxergar.  Que seja amor, para uma, duas vidas inteiras. E na sua vida seguinte, você ainda terá o mesmo amor por mim, somente e para sempre por mim.

Erllen Nadine

"Que seja infinito."
(Vinícius de Moraes)

20 agosto, 2010

Pouco a pouco

"É tão bom, morrer de amor e continuar vivendo."
(Mário Quintana)

Nesse momento, sinto como se eu tivesse arrancado um peso de dentro de mim. Todo esse peso que habitava meus pensamentos, minha alma e o meu coração... Era você. As noites de insônia foram embora, pela janela do segundo andar; as lágrimas que ficaram por dentro, não sentem nenhuma necessidade de sair. O que eu sentia por você, aos poucos foi esfriando, de tal maneira, que nem café consegue aquecer. Não me pergunte como as coisas tomaram esse rumo, nem eu sei. Eu só precisava pensar mais em mim; cansei de sofrer e de te esperar, não tenho mais capacidade para isso. Pois é, um dia a gente cansa de correr e não chegar a lugar nenhum. E agora, o meu coração que você fez parar - pouco a pouco está voltando a bater.

Erllen Nadine

10 agosto, 2010

Sorriso (mudo)

"Foi esse sorriso que doeu. Doeu pelo resto da vida." (Caio F.)

Tirei forças não-sei-de-onde, para arrumar as roupas espalhadas pelo quarto na mochila, antes que o ônibus partisse. Dobrei as roupas, mas sem aquele jeito delicado da mamãe. Olhei a hora, ainda tinha tempo para andar pelas ruas que eu queria, e escrever isso no papel. Passei pelos lugares em que já estivemos e deixei um sorriso. Sorri para o asfalto que pisamos; para as praças que sentamos e as flores que estavam por ali; sorri para as árvores e casas que um dia viram nossos beijos e abraços. Sorri também para pessoas desconhecidas. Por um instante, vi nossa imagem, sorri para nós e continuei andando. Aprendi com Caio F., que se olhasse para trás, incompleto partiria - não olhei para trás.
Pois eu não devia, eu não podia.

Erllen Nadine

"... quando a gente cessa de ser amado."

E. N. e J. G.

G — E por que, quando a gente cessa de ser amado, a gente também não ama mais nada?
N — Porque talvez, a gente só consiga amar uma vez, amar mesmo, pra valer. E quando parar (se parar), a gente não vai voltar a sentir o sentimento igual ao passado; vai ser sempre algo sem o mesmo brilho e intensidade. Algo que em alguns instantes vai passar, fácil de esquecer. Ah, ou pode ser também, que aquele espaço que antes era amor, vire algo frio e sem nexo, e que nada vá preencher novamente, talvez aí um motivo para não se amar, mais.

06 agosto, 2010

Do verbo apagar

Apaguei seu cheiro, voz, sabor, sua cor, dos meus sentidos. Apaguei seu nome dos meus cadernos, do meu telhado, das paredes pichadas, da casa inteira, das ruas em movimento. Apaguei seu rosto, seu brilho da minha mente. Apaguei seu toque da minha pele, dos meus fios de cabelo. Apaguei seu nome da minha lista de sonhos, de risadas preferidas. Apaguei seu nome escrito com giz de cera no céu. Apaguei seu nome escrito no jardim com tulipas. Apaguei nossos acordes que estavam por aí, as dedicatórias em livros de amor.

Depois... Fui comprar mais borrachas, para apagar você do meu coração.


Erllen Nadine

O tempo passou

eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele. Até que algo sensacional aconteceu. Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher que eu acabei me tornando mulher demais para ele. Ele quem mesmo?

(Tati Bernardi)

04 agosto, 2010

Pretérito imperfeito

Você gostava de mim. Eu amo você.
Sabe o que os verbos significam?
Que nunca daremos certo.


(Erllen Nadine)

"Ah, Deus..."

"Ah, Deus, e que tudo venha e caia sobre mim, até a incompreensão de Mim mesma,
em certos momentos brancos, porque basta-me cumprir e então nada Impedirá meu caminho."

(Perto do Coração Selvagem - Clarice Lispector)

01 agosto, 2010

Caminho

Não dá para continuar sobrevivendo assim, eu continuo a recolher migalhas de palavras, lembranças, sentimentos que me fazem acreditar que você ainda pensa e sente algo por mim. Ou eu falo tudo que eu nunca disse do que eu sinto para você, ou eu tento te esquecer de vez, seguir meu caminho, sem ficar olhando para trás.


E.

Sugestões para atravessar Agosto

Para atravessar agosto é preciso antes de mais nada paciência e fé. Paciência para cruzar os dias sem se deixar esmagar por eles, mesmo que nada aconteça de mau; fé para estar seguro, o tempo todo, que chegará setembro - e também certa não-fé, para não ligar a mínima às negras lendas deste mês de cachorro louco. É preciso quem sabe ficar-se distraído, inconsciente de que é agosto [...]. Para atravessar agosto também é necessário reaprender a dormir, dormir muito, com gosto, sem comprimidos, de preferência também sem sonhos. São incontroláveis os sonhos de agosto: Se bons, deixam a vontade impossível de morar neles, se maus, fica a suspeita de sinistros augúrios, premonições [...]. Muitos vídeos de chanchadas da Atlântida a Bergman; muitos CDs, de Mozart a Sula Miranda; muitos livros, de Nietzche a Sidney Sheldon [...]. Para atravessar agosto ter um amor seria importante, mas se você não conseguiu, se avida não deu, ou ele partiu- sem o menor pudor, invente um. Que se possa sonhar, isso é que conta, com mãos dadas, suspiros, juras, projetos, abraços no convés à lua cheia, brilhos na costa ao longe. E beijos, muitos. Bem molhados. Não lembrar dos que se foram, não desejar o que não se tem e talvez nem se terá, não discutir, nem vingar-se, e temperar tudo isso com chás, de preferência ingleses, cristais de gengibre, gotas de codeína, se a barra pesar, vinhos, conhaques-tudo isso ajuda a atravessar agosto. Mas para atravessar agosto, pensei agora, é preciso principalmente não se deter de mais no tema. Mudar de assunto, digitar rápido o ponto final, sinto muito perdoe o mau jeito, assim, veja, bruto e seco.

(Caio F. Abreu - Crônica escrita em Agosto de 1995, O Estado De São Paulo)