março 20, 2011

Sentimento maior


                              Sessão II - Laura e Pedro

Nas manhãs seguintes, Pedro ainda conseguia sentir Laura beijando-lhe, enquanto acariciava os fios de cabelos meio crespos da nuca, para acordá-lo. Mas quando abria os olhos, ela não estava lá, nenhum vulto sequer.


Conheceram-se numa praça. Ele tirava fotos sei lá de quê, (quase) sem querer a fotografou. Ele perguntou o nome dela, ela perguntou o signo dele. O que para muitos seria bobagem, deixou ele encantado - ninguém costuma fazer esse tipo de pergunta. Um fotógrafo inexperiente, uma garçonete querendo aposentar-se; sentiram necessidade um do outro.

No final do dia, Pedro abria a porta com uma chave de esperança, olhava em volta, o açaí continuava intocado, a bagunça acomodada, nenhuma pista ou bilhete. "Ela tem a chave" pensava, "ela vai voltar" pensava sempre; com tanta certeza, que qualquer barulho a imaginava. Já não sabia o que fazer, com tanto sentimento, maior que ele.

Erllen Nadine


I

"Volte e invente uma despedida, vamos fingir que tivemos uma." (Joel Barish) 

13 comentários:

  1. Passando pra deixar um beijinho de boa noite e claro Desejar um Feliz dia Do Blogueiro,
    que continue sempre assim, transmitindo tudo que há de bom, em ti e transfomando a nossa vida com palavras de amor, carinho, paz e motivação.
    Otima semana e uma noite abençoada.
    Beijos Meus :)

    ResponderExcluir
  2. ameeeeeeeeei Nadine!
    e eu reparei que tu falas quase sempre sobre o Açai, tens que vir em Belém, ai tu vais tomar o melhor de todos, garanto mklsdmkfmksd

    ResponderExcluir
  3. Quando se fica assim, transbordando sentimentos, a vontade é de pegar tudo, colocar dentro de um saco preto, onde ninguém possa ver o que há lá, e simplesmente jogá-lo fora. Pena que sentimentos não são descartáveis. Pena que ninguém se desfaz dos sentimentos ruins assim. É a vida, né? Me interessei pela história da Laura e do Pedro, quero ler mais.

    ResponderExcluir
  4. "Nada como um amor não correspondido pra tirar todo o gosto" ...do açai cremoso...
    bjos querida

    ResponderExcluir
  5. Trágico, sentir o outro e ele está longe.
    Mais trágico ainda é insistir em uma coisa - ou pessoa -
    que no fundo sabemos que não se interessa mais.

    "Ela perguntou seu signo. O que para muitos seria bobagem"
    Pra mim nem seria, adoro signos. Adoro quem perguntem o meu. rs'

    Tbm adorei a história. Espero que venham mais sessões. *--*

    ResponderExcluir
  6. Sorri ao ler essa parada do signo, minha mãe é assim, ela pode não saber o nome, mas o signo...
    Eu reafirmo o que a Carol Lago falou sobre o açaí, daqui de Belém não se compara haha
    Espero pelo continuação da história do Pedro e da Laura.

    ResponderExcluir
  7. Que triste, e ela volta ou nao volta? fiquei curiosa!!

    beeijos

    ResponderExcluir
  8. Marcela, ainda não sei. Não escrevi o "final", e outras partes virão. Vai ter que acompanhar rs.

    Sei muito bem o quanto dói esperar. Dói tanto quanto esquecer.


    :*

    ResponderExcluir
  9. Que história mais linda, tô amando! Escreves maravilhosamente bem, sabes disso, e não canso de repetir, haha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Estou adorando viu Ná? Está linda demais a história, é suave, é delicada, é real, e isso me cativa muito.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. é muito ruim quando nao se tem uma despedida, fica aquela esperança, aquilo de saber se vai ter volta, fica um dissse nao disse.

    é sempre melhr quando tem despedida, a gente sofre, mas sofre de uma vez

    http://ummundoquaseparticular.blogspot.com

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."