27/03/2011

Um ano do Blog

Aqui, deixei subentendido ou não todos os meus amores, quem eu nunca quis perder, quem eu não queria ter. Teve Junho com gosto de encontro, e Setembro, de fim. Contei do sonho bonitamente triste que eu tive, aquele que eu o via e falava dos cortes. Muitos souberam do sonho, mas apenas um, soube que os cortes de fato aconteceram. Entre tantas conversas, teve a que nunca foi dialogada. Ouvir corações não é fácil, talvez por isso, eu queria que naquela noite o sol não acordasse. Me perguntaram sobre o amor, sobre esquecer; são das perguntas que eu temo em responder. Cigarro, cerveja, aquela menina, me ensinou que poderíamos ser a mesma. As pessoas mudam, as estações também, eu tenho um verão que nunca vai acabar. Já senti saudade da parte da infância que não tive, fiz cartas e não as enviei, fui embora e não voltei; rezei para Deus me ensinar a chorar, pedi ajuda para o tempo passar. Podem roubar as palavras de mim, mas os sentimentos que tem nelas, sempre estarão comigo. Sempre.

Erllen Nadine,
do coração enjaulado.


P.s.: Hoje também é aniversário do poeta Renato Russo.
P.s. 2: Obrigada a todos vocês que habitam meu sorriso (mudo). E aqueles que me incentivaram a fazer o blog: Dayanne ("a pessoa mais parecida comigo que eu conheço, só que do lado do avesso"), David (o que me faz rir quando tô de tpm ;x).