julho 02, 2011

Quando vi Marcelo Camelo

(filho de sol poente, filho da eternidade)
18/06/2011 - Fortaleza/CE


o encanto fez nascer o ele-lírico nos olhos,
o tom e as palavras davam arrepios
que começavam por dentro e espalhavam-se
pelo corpo

só havia o doce, não mais a solidão
e a vida confundia-se com a eternidade

não havia dilemas, só poemas,
Deus e o que era novo

no fundo, tudo se fundia
em toda canção que havia amor.

Erllen Nadine

8 comentários:

  1. puta sensibilidade a sua, porque senti o mesmo :)

    ResponderExcluir
  2. Ná, há temos não venho aqui, queria lhe pedir desculpas, mas sabe como é, o IFBA está me matando demais! Passar nos posts que não comentei e claro vou comentar, porque adoro tudo que escreves.
    E Marcelo Camelo é um sonho não? É tipo, o melhor sonho, e a minha vontade de ir ao show dele só cresce cada vez que ouço/vejo falar dele.
    Adorei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. "O tom e as palavras davam arrepios"
    Neeem acredito que eu perdi! ;/ FAAIL --'
    E como sempre ela descreve tudo com belas palavras! *--*

    ResponderExcluir
  4. ô invejinha boa de você! Lindas palavras...
    beijo.

    ResponderExcluir
  5. Lindo! Incrível, agora Nadine você vai sentir mais "Saudade" do Camelo. "Vai ver é só você" :D

    ResponderExcluir
  6. Sua super sortuda! Nadine, ficou lindo o texto. Nem acredita que vou perder o show que teria aqui, porque ele teve problema no voo. Viajo antes! Posso até me "Acostumar" com isso um dia, afinal de contas, o poeta disse que "Tudo Passa". E certamente não será minha "Despedida" dele.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Voltei com o blog ;)
    SAUDADES.
    Aqui continua perfeito. E quente.

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."