janeiro 29, 2012

Com o passar do tempo

Josh

"Foi um tiro de canhão, ou é meu coração batendo?"
Casablanca, de Michael Curtiz (1942)


Na minha cabeça de romancista, cafés combinavam com reencontros e o barulho da chuva era canção sobre os céus. Ela desviava o olhar do meu, procurava uma fuga, na xícara, nos pingos de chuva. Cumprimentamos-nos e sentamos na mesma mesa. Aos poucos, conversávamos sobre tudo, ou quase. Era proibido falar no passado. Uma conversa sobre indie rock'n roll. Sonhos. Da Paixão Segundo G.H. Do cinema antigo.

— Casablanca? Está brincando? É o melhor filme de todos os tempos!
Não discordei. Sorrimos.

Em meu pensamento tocou As Time Goes By. Tive vontade de puxá-la para meus braços. Não mais sumir em nevoeiros, quem sabe fugirmos para Paris. Nada disso eu fiz. E quando um instante de silêncio pairou, ela disse:

— O que você acha que acontece com o amor interrompido?
— Deve virar uma flor, que não volta a desabrochar.

Ela sorriu. Seus olhos eram doces, seu coração estava em chamas. Éramos um ponto de interrogação que machucava às vezes, por não sabermos o que teria acontecido se tivéssemos continuado. Olhamos para o horizonte cinza. E mais uma vez, dissemos adeus sem dizer.

As time goes by nas entrelinhas.
Nosso amor virou flor.

Erllen Nadine

"— O que você faria se ela entrasse por aquela porta?
— Eu diria: (...) O passado não volta."
(Luís F. Veríssimo, na crônica: As time goes by)

janeiro 23, 2012

Tua

Mirage

A embriaguez das noites de verão misturava-se com a
batida dos corações que se arrastavam até o quarto.
Você vem banhado em amor. Beija os lábios, os seios, a alma.
Arranho tua pele, dedilha minhas curvas. Prendo-te com as coxas.
Tenho-te aos poucos.
Sussurros tornam-se trilha sonora de uma madrugada.
Encontro no teu corpo a fuga da solidão que nos persegue.

Sou tua, moço de largo sorriso e olhos castanhos.

Erllen Nadine

"Ele me comia, com aqueles olhos de comer fotografia." (Chico Buarque)

janeiro 02, 2012

Coração vagabundo II

Josh

"Senta aqui que hoje eu quero te falar, não tem mistério não, 
é só teu coração que não te deixar amar." (Los Hermanos)

Adormeci com teu sorriso e a vontade de esquecer aquela noite. Sonhei com você. E no meu sonho eu inventei que te esperava e você fingiu que eu era a única. Você continua a enganar qualquer uma, com esse charme estampado no teu jeito de andar, com sua voz e as palavras açucaradas que se dissolvem quando você encosta tua boca em outra. A verdade que ninguém vê é que você é um mentiroso, que trai e não ama ninguém; e ainda assim esse teu coração vagabundo escreve as coisas mais lindas que já vi.

Você é um cafajeste, disfarçado de poeta.

Erllen Nadine