dezembro 23, 2013

do inevitável


"Não choro mais... Agora só resta uma coisa seca. Dentro, fora." (Caio F.)

O que nos aproximou foi a solidão. 
Você tem tantos amigos, mas no fundo não tem ninguém. 
Você sabe, é tão solitário quanto eu. 

Eu te culpo por tudo, 
mas a culpa também é minha,
eu nunca soube amar direito.

Suas últimas palavras dilaceraram o vazio.
Mas eu sei seguir em frente, sem olhar para trás,
fiz isso a minha vida inteira.

Por falta de um sorriso, eu procuro outro abrigo [...] 

Um comentário:

  1. Dividimos a solidão, a culpa, dividimos as últimas palavras que nem sempre são aquelas que queríamos ouvir. Dividimos as músicas, filmes, família, planos, dividimos nossas vidas com outro alguém, mas nem sempre dividimos o amor... Quem sabe o amor não é divisão, é soma, ou até multiplicação, não sei ao certo, talvez pq eu tbm não saiba amar, rs. Mas amamos, mesmo não sabendo, mesmo acabando. E daí seguimos em frente, as vezes olhando pra trás, pro lado, mas com a direção pra frente, exatamente pra isso: "pra encontrar outro abrigo".

    Bj, moça! :*

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."