04 outubro, 2014

Pierrot


— Uma temporada no inferno.
— O amor precisa ser reinventado.
— Vida real é outra coisa. Séculos incontáveis atravessam à distância, como tantas tempestades.
— Eu a abracei forte e chorei.
— Foi nosso primeiro, nosso único sonho.

— Vá embora.
— Nunca.
— Enquanto eu seja "eu".
— E você seja "você".
— Enquanto o universo segurar nós dois.
— Eu, que te amo.
— Você, que me rejeita.
— Enquanto quisermos correr.
— Parece muito com o destino.

Olhos: Paisagens humanas.
Boca: Onomatopeia que termina sendo linguagem.

— Por que parece tão triste?
— Porque você fala comigo com palavras, e eu te olho com sentimentos.
— Conversar com você é impossível. Você nunca tem ideias, só sentimentos.
— Eu tinha razão cinco anos atrás. Nós nunca nos compreendemos.

O Demônio das Onze Horas (Jean-Luc Godard, 1965)