maio 30, 2017

- Aqui está, adeus.


— Por que veio aqui?
— Tenho 24 anos. Quero lembrar-me disso pelo menos uma vez [...]. Eu te amo... E você já entendeu como. Mas dizê-lo hoje, nestas condições, é como se estivesse orando por um filho nosso que morreu.

Nunca mais a vi. E depois do fim da guerra, voltei à Grécia devido a um mau pressentimento. Não iria reencontrá-la. Você tinha ido embora sem nunca olhar para trás. Mas tive a impressão de rever seu rosto anos depois, nos últimos versos de uma poesia, como quando você se virou e com a mão livre na frente da nuvem dos cabelos, me disse adeus para entrar na escuridão.

Mulheres no Front (Valerio Zurlini, 1965)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."