31 de dezembro de 2019

Aquário e Leão


Francisco de Aquário. Fernando de Leão. Francisco fazia nada não. Fernando fazia faculdade. Fernando vestia jeans. Camiseta branca. Com um desenho de não sei o quê. Francisco vestia jeans. Camiseta. A cor não lembro mais. Seus olhos, castanhos. Essa era a única cor que pudera lembrar. Fernando gostava de chá. Com leite. Francisco gostava de café. Preto, forte. Amargo. Fernando gostava de Maria Bethânia e Nara Leão. Francisco gostava de eletro. Rock. E dormia de samba-canção. Francisco sorriu. Fernando surpreso retribuiu. Aproximaram-se. E deram-se as mãos.

- Acredita em amor à primeira vista?
- Agora, sim.
Acredito em nós.

- Por que não falou comigo nas outras vezes?
- Tinha medo de não ser um começo.
- E esse é o fim?
- Talvez.

Sorriam juntos. Felizes. Até que.

Me ama?
Te amo. E você, me ama?
- Hoje. Amanhã. Depois. E sempre.

(Tiago J.) 

Nota: Procurei esse texto anos atrás, mas não conseguia lembrar dele o suficiente, nem o autor, do qual infelizmente não sei o sobrenome. Por acaso, estava vasculhando uma antiga conta de e-mail, quando de repente: voilá! Enviado em 07 de jun. de 2010 às 18:47. O tempo é irremediável. 

21 de dezembro de 2019

15 (anos-luz)

Mais um ano, agora são quinze. Os momentos que antecedem essa data sempre são angustiantes, como haveria de ser. É comum acordar na madrugada, com aquele nó na garganta. Me falta ar, falta você em todo lugar. Choro silenciosamente, enquanto observo a luz gradativamente atravessar a janela. Imagino os milhares de sonhos que poderiam ter acontecido. 

Algumas vezes eu contei sobre você para pessoas mais próximas, escrevi em outras ocasiões. Mas sinto que nunca foi o suficiente. Não conseguiria verbalizar sua ausência ou como até hoje tento recuperar pedaços que já não existem. O tempo permitiu que eu continuasse com as boas memórias da infância e uma dor só minha. 

24/11



15 de dezembro de 2019

Anna, je t'aime

Resultado de imagem para anna karina 60s

"O que é amor, então?
Sua voz, seus olhos, suas mãos, seus lábios.
Nossos silêncios, nossas palavras.
Luz que vai, luz que volta.
Um único sorriso entre nós.
Na busca por conhecimento,
eu assisti noite criar dia,
enquanto nós parecíamos inalterados. "

Alphaville (Godard, 1965)

4 de setembro de 2019

Hope is a dangerous thing...


Todos os dias e horas com Sylvia Plath
escrevendo em minhas paredes com sangue
porque a tinta da minha caneta não funciona no caderno

Não pergunte se eu estou feliz, você sabe que não estou
mas o melhor que posso dizer é que não estou triste (...)

Há uma nova revolução
uma evolução barulhenta que eu testemunhei
nascida da confusão e da conspiração silenciosa

Uma mulher moderna com uma constituição fraca
porque eu ainda tenho monstros embaixo da minha cama
dos quais eu nunca pude me livrar (...)

Esperança é uma coisa perigosa para uma mulher como eu ter -
mas eu tenho.