07/09/2010

Não se pode ter medo


"Tudo neles era recíproco - e o medo de se ferirem cresceu junto para explodir num silêncio súbito." (Caio F. Abreu)

Ao som de Stop Crying Your Heart Out (Oasis)

Ele sentia que ela era a única que poderia entendê-lo, e talvez por isso, contava apenas para ela dos seus problemas, sentimentos, desejos. Às vezes ele a acordava à meia noite com mensagens de amor ou piadas sem graça, tão sem graça que a fazia rir; e depois ela voltava a dormir bem melhor. Ele a desenhava, e mesmo com traços meio tortos, seus corpos completavam-se muito bem. Ele cantava desafinadamente para ela adivinhar as músicas e ela sempre acertavam. Porque ela sempre sabia a nota seguinte, o minuto seguinte, que tipo de música ele iria cantar - apenas pela expressão que ele fazia. Ela sabia de cada passo que o coração dele mandava seguir.

E juntos sabiam, que não se pode ter medo.

E quando tiveram medo: Tudo se cobriu com poeira - as mensagens eram de meses passados, as risadas pararam no tempo, os desenhos desbotaram-se, a música transformou-se em silêncio. Não houve mais expressões com significados e nenhum coração batendo.

Erllen Nadine

"E eles ficaram ali, olhando um para o outro, com os restos do amor no chão."
(André Gonçalves)