01 agosto, 2016

Aos (des)amores descartáveis


Já faz um ano ou pouco mais que isso, desde a última vez que escrevi sobre nós. E se não escrevo, é porque não sinto. E por que logo agora? Às vezes as coisas simplesmente vêm à tona. Depois de processar tudo que vivi, percebi que dois anos após o fim, eu tinha algo a te dizer. Mas antes, é necessário esclarecer que foi uma longa caminhada até aqui:

1) sofrimento 2) raiva 3) culpa 4) solidão 5) autorreflexão 6) recomeço [...].

Quando você foi embora, você fez questão de desestabilizar meu emocional o máximo possível. Desse modo, não ouse achar que existe algum perdão, como uma vez você pediu. Eu não sou tão boa assim. Foram passos curtos, até chegar um momento que toda aquela dor para de fazer sentido. Aos poucos, as lembranças iam se distanciando a ponto de eu não reconhecê-las e então, não serem minhas. Não era eu, tampouco você.

Eu consigo lembrar, sem me encher de mágoa, rancor e muito menos saudade dos anos bons. Sim, porque a gente foi feliz, eu pelo menos fui durante alguma estação. A vida não é como meu filme favorito, não se pode apagar pessoas da memória. Ser indiferente a tudo isso é o que sobrou. E por tanto, eu te digo:

Obrigada por partir meu coração, eu precisava disso. Porque era a maneira mais rápida de me libertar daquele relacionamento, que me machucava tanto, mas por excesso de "amor" e ausência do mesmo, eu nem sequer percebia. 

Obrigada por partir meu coração, em mil pedacinhos.

Se antes eu chorava e me desesperava, hoje eu sinto orgulho. Sozinha juntei meus cacos, estou aqui, às vezes perdida e outras dolorida, mas não por você, nem por ninguém além de mim mesma. E essa é a dura lição que carrego: neutralizar o passado o suficiente para viver em paz.

E se não sinto, é porque esqueci.

Erllen Nadine



2 comentários:

  1. Eu quero esquecer também, é o que eu mais quero.

    =**

    ResponderExcluir
  2. Depois tem pessoas que não acreditam naquela frase clichê: tudo passa, pode demorar o tempo que for, mas passa.
    E o melhor é isso mesmo, não sentir mais, esquecer, aprender... e se for pra doer que seja por nós mesmos.

    A cada texto amo mais tuas palavras. <3

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."