21 de dezembro de 2019

15 (anos-luz)

Mais um ano, agora são quinze. Os momentos que antecedem essa data sempre são angustiantes, como haveria de ser. É comum acordar na madrugada, com aquele nó na garganta. Me falta ar, falta você em todo lugar. Choro silenciosamente, enquanto observo a luz gradativamente atravessar a janela. Imagino os milhares de sonhos que poderiam ter acontecido. 

Algumas vezes eu contei sobre você para pessoas mais próximas, escrevi em outras ocasiões. Mas sinto que nunca foi o suficiente. Não conseguiria verbalizar sua ausência ou como até hoje tento recuperar pedaços que já não existem. O tempo permitiu que eu continuasse com as boas memórias da infância e uma dor só minha. 

24/11