27/02/2011

90's


Para (não) ser enviada a algum lugar. 

Quando criança, eu sempre olhava uma fotografia sua, mesmo em preto e branco, ela me dava as cores que eu precisava ver. Eu a contemplava escondida, para que ninguém percebesse quanta saudade eu sentia. Saudade do que nunca existiu.

Não guardo mágoas. Guardo perguntas. Não espero voltas, abraços ou novas partidas. Espero as respostas que nunca chegarão.

Nunca dissemos uma palavra sobre você, nem em jantares ou agostos. Mas eu sei que era mineiro e conhecedor dessas estradas. Também sei que temos o mesmo olhar: é o mais triste que conheço.

Quando penso na bicicleta, lembro que não me levou para passear. Quando penso nos contos de fadas, lembro que você é uma farsa. Quando penso em desistir de alguém, lembro que não quero ser igual a você. Pai.

Perdoo-te por teres ido embora.

Erllen Nadine

"Pelas esquinas que eu andei, nenhuma delas te encontrar, mas eu tou sempre por aqui, quando quiser é só chamar. Não quero mais me desmentir, eu não vou mais te procurar." (Mombojó)