23/12/2013

do inevitável


"Não choro mais... Agora só resta uma coisa seca. Dentro, fora." (Caio F.)

O que nos aproximou foi a solidão. 
Você tem tantos amigos, mas no fundo não tem ninguém. 
Você sabe, é tão solitário quanto eu. 

Eu te culpo por tudo, 
mas a culpa também é minha,
eu nunca soube amar direito.

Suas últimas palavras dilaceraram o vazio.
Mas eu sei seguir em frente, sem olhar para trás,
fiz isso a minha vida inteira.

Por falta de um sorriso, eu procuro outro abrigo [...]