06/11/2014

Cajuína

Mossoró - RN, 08 de Setembro de 2014 

bem meu, para você meu bem

      Sou péssima com inícios, assim como em finais, não apenas em cartas, mas acho que em quase tudo nessa vida. [...] Tivemos nossas diferenças, alguns afastamentos, que talvez tenha sido necessário e que de alguma forma nos fez bem, e agora só você podia me ajudar a encarar dias difíceis. Não esquecerei isso e vou ser sempre grata pelas palavras. 
      Acho que me vejo em você, talvez por sermos um tanto escritoras, porque precisamos rabiscar nossos sentimentos para não sufocarmos, e além da nossa ligação de anos, esse foi um dos motivos que pensei que só você fosse me entender naqueles momento fundo do poço [...]. Se não fosse por nossas conversas, eu teria enlouquecido, e dessa vez, não teria banho frio ou rock'n roll que me salvasse. Nesses momentos, a gente precisa de um amigo, e não importa se você nunca o viu, nunca pôde abraçá-lo e agradecer olhos nos olhos.
       Agora entendo que ter um "coração partido" depois dos 20 é bem diferente de quando temos 16, 17. Talvez seja mais fácil superar, devido ao amadurecimento, aprendizado; talvez mais difícil perdoar. Veja bem, acho que é preciso manter algumas feridas abertas e próximas, temos que anestesiar a dor, mas não podemos esquecê-las totalmente jamais. Só assim para impedirmos que nos machuquem da mesma forma outra vez... Se é que é possível impedir, eu espero que sim.
       Quando me perguntam como me sinto, sempre digo o mesmo: estou bem. Na verdade, estou como sempre estive: os sentimentos à flor da pele, com tanta intensidade que não consigo carregá-los, e por isso transbordo, escrevo. Você também é assim? 
        Amar, não deveria ser um peso jamais.


Te envio essas palavras tortas com muito carinho.
Nadine 


Feliz aniversário, moça! 
"Procure dividir-se em alguém, procure-me em qualquer confusão."