12/09/2011

Irremediável

1987
Casa 7. A Lua se opõe ao Sol. Virgem.

Ele sabia que se fechasse a gaveta, tiraria a liberdade das cartas e do amor que ele não queria sentir, e talvez por isso, sentia demais.

Colocou no papel todos os personagens que moravam por dentro. Ah, e como não queria acordar das histórias sobre loucos amores, escritas em lençóis, ao som de Maria Bethânia. Renunciando as despedidas nas esquinas ou mesas de bar. Fugas e suicídios ficavam para amanhã. Só o amanhã é devaneio. Só o agora existe. Hoje é dia de ouvir algum rock barulhento e dançar com suas calças vermelhas.

Transformou o amargo do café, no que havia de mais doce, pra mergulhar seu sorriso, só pra derreter corações gelados. E mais um tanto de sofrimento, em lindas obras literárias.

Escreveu para ser eterno. Nasceu para entorpecer a alma.

Erllen Nadine

"Até hoje não consegui conquistar essa disciplina, essa macrobiótica dos sentimentos, 
essa frugalidade das emoções. Fico tomado da paixão."
(Caio F. para Sérgio K., em Cartas)