12 setembro, 2011

Irremediável

1987
Casa 7. A Lua se opõe ao Sol. Virgem.

Ele sabia que se fechasse a gaveta, tiraria a liberdade das cartas e do amor que ele não queria sentir, e talvez por isso, sentia demais.

Colocou no papel todos os personagens que moravam por dentro. Ah, e como não queria acordar das histórias sobre loucos amores, escritas em lençóis, ao som de Maria Bethânia. Renunciando as despedidas nas esquinas ou mesas de bar. Fugas e suicídios ficavam para amanhã. Só o amanhã é devaneio. Só o agora existe. Hoje é dia de ouvir algum rock barulhento e dançar com suas calças vermelhas.

Transformou o amargo do café, no que havia de mais doce, pra mergulhar seu sorriso, só pra derreter corações gelados. E mais um tanto de sofrimento, em lindas obras literárias.

Escreveu para ser eterno. Nasceu para entorpecer a alma.

Erllen Nadine

"Até hoje não consegui conquistar essa disciplina, essa macrobiótica dos sentimentos, 
essa frugalidade das emoções. Fico tomado da paixão."
(Caio F. para Sérgio K., em Cartas)

15 comentários:

  1. O Caio inspira as pessoas viverem um grande amor.
    O texto está lindo, cheio de verdades e sentimentos, paixão, vontade de viver, cheio de urgência com a vida!

    Um beijo minha Flor de maracujá!

    E para você também te dou um sorrisão que derreta satélites! =D

    ResponderExcluir
  2. aaa Caio... ele sabia como usar as palavras!!!

    beeijos flor.. Marcela Alves

    ResponderExcluir
  3. Caio Caio
    A pessoa mais linda que já pude ler.
    =*)

    ResponderExcluir
  4. Ah, Caio. Sempre nos encantando com essas coisas lindas.
    Mas e aí, leãozinho, como você está?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Nadine,

    Se algum coração gelado passar por aqui, certamente derrete com tanta lindeza que tem nesse texto.

    Adorei, parabéns!

    Um beijo, ótima semana!

    ResponderExcluir
  6. Belíssimas palavras. Belíssimo Caio.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Sem mais,
    Ele é meu guia, é tão "nosso", tão lindo, tão tradutor.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. O unico cara que me entende! ;x kkk
    Ficou otimo demais moça. E adorei a foto tbm. *--*

    beeijoca ;*

    ResponderExcluir
  9. Caio sabe encantar!
    Lindas, doces e quentes palavras.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. "Escreveu para ser eterno"? Como se o eterno é o agora, algo que a cada instante que se vive não acaba, e quando sonha acordado é a melhor parte, pois sabe que só acontecerá o que quer, por ser um simples devaneio...

    Lindo, desculpa a demora!

    ResponderExcluir
  11. Tenho lido muitas pessoas falando sobre o tempo, sobre a necessidade do agora... eu mesmo também sinto isso. Instante interessante de nossa existência, cada vez mais imediadista. Mas há também nisso um peso emocional muito grande, uma sensibilidade intensa em alguns desses (não em todos) que falam do tempo, que falam do que escondem dentro de si, que falam das vidas que trazem em si e não podem vivê-las.

    Passeando pelos blogs, encontrei este seu espaço de leitura, de literatura, de poesia, de vida, Nadine. E aqui as distâncias desaparecem, para dar lugar à comunhão de ideias, de sentimentos, de emoções, de sensibilidade. Se você deixar, vou voltar e quero ficar.

    abraço desse seu novo leitor,
    Alessandro

    ResponderExcluir
  12. Nadine, muito obrigado pela visita e seja muito bem-vinda sempre. Fico contente que tenha gostado do que leu. Eu também gostei muito do que conheci aqui.

    beijo.

    ResponderExcluir
  13. Este Caio, palavras que eternizam... Belo texto linda.

    Estou te seguindo também.
    Bjs

    hubnerbraz.blogspot.com
    Confissões Insanas

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."