15/09/2014

Monólogo


Aceito histórias de amor para escrevê-las.
As minhas me abandonaram, 
me deixaram a ver navios, eu vivo de vazios.
Para onde foram as cicatrizes?
Devorada pelo tempo, aqui estou.
Pedindo arrego, um sossego, uma prova de amor.

Ainda há tanto amar(go) em mim.

Nadine

2 comentários:

  1. Aceita uma história de amor para vivê-la? rs
    Mas tem que deixar o amar(go) partir, que é pro doce chegar.

    "a gente inventa o amor" ♫

    belas palavras, minha moça. ;*

    ResponderExcluir
  2. Quem sabe se da escrita elas não se tornem realidade, né...
    Mesmo com essa amargura no peito, o coração ainda pulsa sonhos.
    Gosto da beleza das palavras tristes...
    Beijos.

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."