04/09/2014

Qualquer dia frágil como hoje


Nota: não é saudade, é alívio. It's glorious

Em uma avenida vazia, nossa despedida ocorreu cinco anos atrás. Ainda me lembro das ruas, bebidas, datas, diálogos, mas é preciso me esforçar para lembrar o teu rosto. 

Sua imagem é sempre um borrão, como em um sonho fragmentado. Só consigo ver teus olhos apertados, e então, você se desfaz.

Às vezes penso que qualquer dia frágil como hoje, irei te encontrar em algum lugar improvável: numa estrada perdida, num barco a deriva. 

Talvez eu reconheça o olhar que habita o âmago das minhas memórias. Talvez você veja em mim aquela garota do cabelo meio roxo. Talvez a gente se esbarre e talvez nada. Vou sentir que te conheci em outra vida. E continuaremos andando...

Será que ainda me vê? E assim? Como uma lembrança distorcida, que assombra para não ser esquecida totalmente. Em raros momentos de loucura, eu procuro teu rosto nos meus sonhos.

E. N.

"Eu teria te amado, para sempre." (Alice - Closer)

2 comentários:

  1. Talvez vocês se esbarrem, mas nem se conheçam mais.
    Talvez a saudade (o alívio) um do outro consiga junta-los novamente.
    Talvez nem um nem outro exista mais, pq a mudança está ai pra isso.
    Talvez se encontrem em uma outra vida, e talvez lá se lembrem dessa. Ou não.
    Talvez...

    "A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida."
    Sempre concordei com esse trecho de Vinicius.
    Talvez se encontrem um dia... o bom do talvez é isso.
    E sim, talvez eles teriam se amado para sempre.

    quero mais um texto daqui pra próxima semana, rs. <3
    bjus, moça do sorriso mudo.

    ResponderExcluir
  2. "não é saudade, é alivio", só essa frase já definiu meu momento, o texto complementou. Uau, obrigada.
    Beijos

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."