28/11/2010

I - das cartas que não são enviadas

Bem meu, para você, meu bem.

Já é tarde e não consigo dormir, te escrevo para te lembrar de "nós", ou para fingirmos que havia "nós". Te escrevo porque não me suporto, não suporto "eu" sem "você". E esses dias sem vida e sem fim. Não suporto minha risada sozinha. Lembra quando nossas risadas se entrelaçavam? Eu não sabia mais qual era a minha, nem qual era a sua. Sei que não preciso escrever muito. Você me entendeu. Sim, é um pedido de socorro.


Erllen Nadine