11 de novembro de 2010

Sem ponto final

Dayanne Támela by E. N.

Há frases erradas, saudade acumulada,
há pontos de interrogações e silêncio como resposta;
há canções, vírgulas e exclamações do que se sente sem saber porquê;
o tempo parou, para que o seu cheiro ficasse por aqui, por aí! Ai!
Como dói não mais te ter e não saber de tudo ou nada que te acompanha;
só não há um ponto final para esse amor que insiste em viver

Nadine


P.s.: Sumi, sem deixar pegadas na areia;
tô voltando, pra escrever teu coração.