9 de agosto de 2011

III - diário de agosto

Chez Fifi

Naquele tempo, a cozinha tinha cheiro de cravo e canela. Hoje é meu chá favorito. E tentavam me explicar o que eu sentia, disseram que se chamava saudade e que logo passava. Mas eu sempre fui desconfiada demais pra acreditar na segunda parte. Ele deixou um livro esquecido em cima da mesa, acumulando poeira; criando desprezo por não ter sido lido, tragado, sentido - até o final. Intocado, junto com nome daquele que o esquecera. Só te procurei em sonhos, lembranças e as velhas coisas que não existiram. Havia vontade, mas não havia pulso forte, pra bater em uma porta que não era a minha. A gente sempre vai ser como aquele livro: nunca tivemos um final. Acumulamos poeira, bem antes de termos um começo.

Erllen Nadine

"Angústia adolescente pagou muito bem... Enquanto meus ossos cresciam eles doíam." 
(Nirvana)