13/08/2011

IV - diário de agosto

Leãozinho: do coração dourado

Abri a janela, para trazer o Sol pra perto e arrumar o cabelo ao vento, enquanto algum rock fazia barulho. Quando eu aprendi a chorar, aprendi também a perdoar; quando o sofrimento cessou, voltei a amar. São coisas que a gente aprende com o mistério que é viver. Em uma só gaveta, eu guardo lápis de cor para pintar as vitórias, rascunhos com frases não ditas e sonhos que pegam carona com meus sentimentos, para serem realizados um por um. Se eu for te dizer o que quero, você vai passar nossas vidas me ouvindo. A vida tem pressa, eu também. Hoje faço 19, minha alma continua sem idade. E amanhã? Seja o que Deus quiser.

Erllen Nadine,
Aponta pra fé e rema.

Eu definitivamente não sei escrever algo pra mim.
Mas eles sabem: menina bonita, ela, moça do coração de flor,
a moça do sorriso mudo. Obrigada por todo o sentimento.

O Leãozinho - Caetano Veloso
Além Do Que Se Vê - Los Hermanos