04/08/2011

I - diário de agosto


Quando eu saí de casa, levei na mochila apenas sonhos, camisetas de bandas de rock, fotografias e muitas histórias. Na minha mente tocava Liberdade, pra me lembrar que naquela cidade desconhecida, eu não estava sozinha. Às vezes quando nos víamos nos finais de semana, era sempre uma discussão; não sabíamos sequer conviver durante dois dias. E antes que o ônibus partisse, a gente pedia desculpa, às vezes com palavras, às vezes sem dizermos nada. Vez em quando, o caos se aproxima e só encontro a paz quando a vejo. Então, o castanho dos meus olhos desbota e uni-se ao verde dos olhos dela também desbotado. Além de saudade, eu chamo essa fusão de amor-eterno-entre-mãe-e-filha.

Erllen Nadine

"Onde a vida é de sonhar. Liberdade." (Marcelo Camelo)