06/04/2010

Despedida



Sentados um ao lado do outro, ele começou a desabafar, dizendo o que não queria, o que não podia. Ele falou das mágoas passadas, falou que sentia segurança ao lado dela, que tentava não pensar nela, mas não conseguia. E ela ficou apenas ouvindo, com um nó na garganta, olhando para ele fixamente. "Eu não quero sair da sua vida" era a única frase que vinha na cabeça dela; "eu não quero te machucar" era a única frase que vinha na cabeça dele. Então ele a abraçou, e ela despedaçou-se. Os dois nunca foram do tipo de se entregar, de amar, talvez por isso tivessem tanto medo de machucar um ao outro, principalmente ele era assim. Se eles se despedissem naquela hora, o adeus não seria para sempre; se a despedida ficasse para depois, talvez fosse um adeus para toda a vida. Ela aceitou o acordo, o destino, desistiram do sonho e disseram 'até mais', até um novo amanhã, algum dia recomeçar. Guardou o sentimento no bolso, o rosto no coração. No dia seguinte, ela juntou o pouco que sobrou e foi embora, para nunca mais voltar, ou talvez voltasse, quando a vida não fosse mais preto e branco. Foi embora com a única certeza que ele era o seu amor.


Erllen Nadine

4 comentários:

  1. 'Então ele a abraçou, e ela despedaçou-se.'
    A gente realmente se despedaça, imagino o quanto este abraço doeu a protagonista da história! :~

    ResponderExcluir
  2. Lindo ;]
    saudades suas..
    E não pare de escrever, a cada dia tem uma coisa diferente, única e perfeita, que só você consegue compor, e passar em cada palavra, um sentimento um jeito de escrever único.

    Amo pra sempre Leãozinho ;x

    ResponderExcluir
  3. *--* Obrigada! Te amo bem mais Leãozinho <33

    ResponderExcluir
  4. Liindo!!!
    Amei Erllen

    Vc escreve mt bem amiga
    TE amo minha monga

    ResponderExcluir

"Um sorriso que derreta satélites e corações gelados."