29/12/2010

Última prece do ano


"Apronto agora os meus pés na estrada. Vou ali ser feliz e não* volto." (Caio F.) 
                        
Arrume as gavetas. Jogue fora o choro contido. Pegue carona com o vento e vá atrás dos sonhos. Rasgue o calendário velho e riscado com as datas contadas. Se possível, rasgue os velhos amores também, aqueles que doem. Ponha açúcar na vida, como se não existisse amanhã, porque um dia não existirá. Agradeça mais, perdoe mais, AME mais. Acredite no impossível. "Só o impossível me interessa". Deseje o mundo melhor, não só na meia noite de sexta, mas sim em todas as manhãs que você acordar. Agora, siga todas as luzes em frente.

Erllen Nadine

Para todos: Feliz ano novo. Paz, amor, empatia.

"Se me desse um último pedido, um único desejo: ainda assim eu escolheria você." (Tati B.)